Porque é infinito | ©José Caldeira

Highlight

Porque é infinito
Direcção artística

Victor Hugo Pontes

Centro de Arte de Ovar
Ovar
27 de Maio 2022

Sexta

A partir de uma releitura contemporânea de Romeu e Julieta, o clássico de William Shakespeare sobre o amor e os seus limites, Victor Hugo Pontes constrói uma obra onde a palavra e o movimento se fundem, na sua linguagem coreográfica tão singular. Como falar sobre um amor que se quis e acreditou infinito, mas redundou numa tragédia para os seus protagonistas? Quais as perspectivas dos outros envolvidos na trama - uma vez que este amor contaminou todos à sua volta com uma onda reactiva que levou ao terrível desfecho? Já sabemos o final desta obra. Mas, saberemos contá-la desde o início? Um espectáculo sobre formas de contar uma história que já se ouviu mil vezes, e de amar e de dizer ‘para sempre’, ou porque é infinito, no remate de uma frase que descreve o quanto amamos e continuaremos a amar. Verbo, já agora, difícil de definir, este de ‘amar’. “Amor?, isso é exactamente o quê?”, pergunta uma das pessoas com quem falámos sobre tudo isto; enquanto que outro inquirido responde, “Eu sei tudo sobre o amor, a sério.” Dúvidas e certezas, e a adolescência como pano de fundo, um tempo de excessos, e madrugadas longas, nas quais se convidam o amor – mas também a morte – para entrar nos quartos dos que descobrem pela primeira vez estes turbilhões de sentimentos. Porque é infinito é um texto escrito por Joana Craveiro com base numa pesquisa documental, afectiva e poética, que coloca o texto canónico de William Shakespeare nos dias de hoje e o olha a partir daqui, naquela que é também uma reflexão sobre a linguagem usada para dizer e verbalizar tudo isto.

NOME pRÓPRIO

+

-

Contacts

Image
Address

Rua Santa Catarina,

nº 686 2º andar

4000-446 Porto

Ph: +351 934 428 744

Nome próprio is an organisation:

resident at Teatro Campo Alegre in the context of the program Teatro em Campo Aberto.

Estrutura apoiada por:

ImageImage

Membro de:

ImageImage
Image
Image